O Beato Carlo Acutis e a fé na presença de Jesus na Eucaristia

D. Carlos Lema Garcia

A festa de Corpus Christi comemora a presença de Jesus na Eucaristia. Ele permanece entre nós e se interessa pelas nossas coisas. Ele nos pergunta: como você está? O que o preocupa? De que você precisa? Como eu posso ajudá-lo? Nunca agradeceremos bastante a presença de Jesus na Eucaristia, na Santa Missa e no Sacrário.

Esta celebração nos faz lembrar a devoção eucarística do jovem Carlo Acutis, que morreu aos 15 anos, em outubro de 2006, devido a uma leucemia agressiva, e foi beatificado no passado dia 10 de outubro de 2020. O jovem comoveu familiares e amigos por oferecer os sofrimentos devidos à doença pela Igreja e pelo Papa.

Desde que fez a sua primeira Comunhão, aos 7 anos de idade, Carlo sentiu uma forte união com Jesus Eucarístico que o levou, a partir desse momento, a assistir à Santa Missa e a comungar diariamente. Nada mais atual do que a vida desse jovem, considerado apóstolo do amor de Cristo nas redes da internet, um verdadeiro “ciberapóstolo”. Carlo é conhecido em todo o mundo como o “apóstolo do computador”, graças às suas extraordinárias habilidades informáticas colocadas ao serviço do Evangelho e da Igreja. Criou um site para difundir a devoção eucarística na internet. Hoje, graças à exposição virtual sobre os milagres eucarísticos, criada por iniciativa dele (visite em: www.miracolieucaristici.org), a sua herança espiritual está presente no mundo todo: das Filipinas a Cabo Verde, do Brasil à China.

Nós também, sempre que pudermos, podemos entrar numa igreja e fazer uma visita ao Santíssimo. Assim fazem os apaixonados: anseiam pelo momento de se encontrar. Não basta falar pelo telefone. Nada substitui a presença da pessoa amada. Porque havia de ser diferente com Deus? Como nos preparamos? Qual a nossa expectativa para a hora da Missa e da Comunhão? Assistir à Santa Missa com frequência e fazer uma Comunhão bem feita, estando devidamente preparados.

A Igreja recomenda que os fiéis comunguem quando participam da Eucaristia, desde que se encontrem nas devidas disposições. E, se a consciência os acusar de pecados graves, tenham antes recebido o perdão de Deus no sacramento da reconciliação, lembrando aquilo que São Paulo recordava à comunidade de Corinto: Todo aquele que comer o pão ou beber o cálice do Senhor indignamente será réu do corpo e do sangue do Senhor. Que cada um se examine a si mesmo, e assim coma desse pão e beba desse cálice. Aquele que o come e o bebe sem distinguir o corpo do Senhor, come e bebe a sua própria condenação (I Cor 11,27-29).

Assim, a primeira condição para comungar é o estado de graça. Não basta um propósito genérico de se confessar logo que possível. Não nos enganemos, pensando que basta o desejo de ser perdoados: é preciso receber a absolvição dos pecados no Sacramento da Confissão. Além do estado de graça, deve-se guardar jejum de uma hora e aproximar-se da Comunhão com a devoção e a fé de receber o próprio Deus. Vamos acompanhar Jesus presente no sacrário. Vamos renovar o nosso desejo de preparar-nos bem para recebê-lo bem na Comunhão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Rolar para o topo
Facebook
Twitter
Instagram