Nossos corpos, templos do Espírito Santo

D. Carlos Lema Garcia

Bem-aventurados os puros de coração porque verão a Deus”: no sermão da montanha, Jesus fala da maior graça que podemos receber, que consiste em ver Deus face a face. Há uma correlação entre pureza e contemplação: somente aqueles que guardam o seu coração das tentações, da avareza, da sensualidade, dos pecados contra a castidade, serão chamados à intimidade com Deus.

Por outro lado, São Paulo ensina na carta aos Coríntios o sentido altamente positivo dos nossos corpos: “O corpo não é para a impureza, mas para o Senhor e o Senhor para o corpo… Não sabeis que vossos corpos são membros de Cristo? […] Fugi da impureza. Qualquer outro pecado que o homem comete é fora do corpo, mas o impuro peca contra o seu próprio corpo. Ou não sabeis que o vosso corpo é templo do Espírito Santo, que habita em vós, o qual recebestes de Deus e que, por isso mesmo, já não vos pertenceis? Porque fostes comprados por um grande preço. Glorificai, a Deus e trazei-o no vosso corpo.” (I Cor. 6, 12-20).

Esses textos expressam o valor altíssimo do corpo humano, templo do Espírito Santo, e não algo para ser usado ou abusado. Ou seja, a pureza começa dentro de nós: é preciso manter o coração puro em seus afetos, os olhos puros, isentos de malícia, a imaginação e a memória centradas nos grandes amores.

Lembro de um ditado interessante: “À panela que ferve, nenhum mosquito se atreve”. Quando a panela está fervendo no fogão, nenhum mosquito se aproxima. Mas se esfria, os mosquitos se aproximam. O mesmo acontece com o coração humano. Quando ferve de amor a Deus, com uma oração constante, com a recepção piedosa da Eucaristia, está de certo modo protegido contra as tentações impuras. A razão é que o nosso coração nasceu para amar: precisamos dar-lhe afetos puros, limpos e nobres. Se estiver vazio, o coração vai se preencher com qualquer sentimento, imaginação, ou desejo impróprios.

Quem luta para manter o seu interior puro, como consequência, também terá uma conduta de acordo com a pureza cristã, segundo o seu estado de vida: solteiro(a), casado(a), viúvo(a), religioso(a) ou sacerdote.

Segundo a revelação, o corpo humano tem uma dignidade originária, uma vez que Deus cria o homem de modo especial: o corpo é plasmado diretamente e a alma é feita à imagem e semelhança do próprio Deus. Há um sentido sagrado e profundo do homem, que, com seu corpo, é cooperador com Deus na transmissão da vida humana. Nossa condição humana, carnal, também foi assumida e santificada por Jesus Cristo, Deus feito homem. Além disso, as graças mais sublimes que recebemos nesta vida atingem a alma através do corpo: na água do Batismo, a ablução da carne purifica o espírito. Recebemos em nossos corpos, como alimento da alma, o pão eucarístico, Corpo de Cristo. Na Confirmação, a unção da carne e a imposição das mãos faz com que o espírito seja iluminado pelo Espírito Santo. Nós também estamos destinados à ressurreição da carne: veremos a Deus com os nossos olhos.

A pureza cristã, a castidade, é possível e é fonte de alegria e de crescimento espiritual. Para guardá-la precisamos colocar todos os meios: o primeiro é o recurso à oração e aos Sacramentos, especialmente a Confissão e a Eucaristia. Depois, evitando as situações de perigo: imaginação descontrolada, acessos a conteúdos impróprios da internet, a sobriedade na bebida e no descanso, o aproveitamento do tempo, e, enfim, a intercessão poderosa de Nossa Senhora.

Para ajudar a conhecer a beleza do grande projeto de Deus para o ser humano e descobrir como o corpo humano, em toda a sua dimensão, foi pensado para expressar o dom de si, nota característica de todo amor autêntico e verdadeiro, a Arquidiocese de São Paulo, através do Vicariato para a Educação e Universidade realizará dois seminários com a assessoramento do teólogo Christopher West, grande especialista da atualidade.

O primeiro seminário é direcionado a seminaristas, postulantes e noviços(as) de congregações religiosas, membros de novas comunidades e movimentos eclesiais que se sentem chamados a acolher o dom do celibato dentro de seu caminho vocacional. Será na sexta-feira, dia 2 de agosto de 2019, das 14 às 18h, na Paróquia São Luís, na Avenida Paulista, 2378.

O segundo é dirigido às pessoas casadas e educadores. Os temas abordados abrangem desde a preparação para o Matrimônio, passando pela harmonia conjugal, a abertura aos filhos até a ideologia de gênero. Será das 8:00 às 18:00 horas do sábado, 3 de agosto de 2019, no Colégio São Luís – Salão Santo Inácio, Rua Luis Coelho, 323 – São Paulo.

As inscrições para os dois seminários podem ser feitas pelo site: www.thecorinsampa.com.br.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Rolar para o topo
Facebook
Twitter
Instagram